10 de jun de 2010

Uma Rapunzel diferente **

Gentennnn' a minha Amiga @viviane_edt acabou de fazer um blog muito mega legal, que eu Amei, onde ela posta histórias que ela mesmo escreve.... (Eu falo que ela devia ser escritora, mas ela não acredita...) kkk'
O blog é o Da minha cabeça para o PC , e eu vim mostrar uma história que eu AMEI pra vcs! *-* Bom, chega de falar, e vamos ler a história!


Rapunzel do 1° Andar.

"Quando era pequena minha família costumava me chamar de Rapunzel, porque meus cabelos eram longos, e minha mãe sempre prendia com uma trança que ficava enorme. Os amigos da escola me chamavam de "primo Itt", sempre levei na esportiva. Conforme fui crescendo continuei com eles assim, cortando de vez em quando porque atrapalha.
Hoje moro sozinha no meu apartamento, sem ninguem que me chame de Rapunzel, Primo Coisa e o que for!
*****
Só não esperava me deparar com esse apelido novamente em uma situação tão constrangedora. Estava em casa durante a semana, era feriado, como não ia à casa dos meus pais e para nenhum outro lugar, decidi arrumar toda minha bagunça. Estava quase terminando, e ainda tinha um pouco de água dentro do balde.
Quando morava com meus pais, nessas situações pegava a água e jogava pela janela mais próxima(quem não faz isso?). E esquecendo que não estava mais em casa, mas sim num apartamento no 1º andar, joguei a água pela janela. Quem diria que aquele pouco de água poderia me causar tamanho constrangimento e mudar totalmente minha vida...
Quando vi já era tarde, tinha jogado a água e acertado alguem que passava na calçada, que deu um sinal de que a água chegou ao seu destino com 3 palavras, que não podem ser faladas nesse horário.
Olhei pela janela, acertei um homem que naquele momento estava resmungando numa tentativa inútil de tirar a água de uma blusa naquele frio. Não consegui dizer outra coisa além de "me desculpe" umas mil vezes. Até que ele olhou para cima e disse:
_O que você tem na cabeça de jogar água assim? Tudo bem que não sou muito legal mas, você nem me conhece ainda e já me odeia? Ah!
_Mas eu nem sabia que você estava aí! E eu realmente não te conheço.
Nesse momento como me debrucei um pouco mais na janela, minha trança caiu um pouco também. Com um ar de sarcasmo ele respondeu:
_Mas eu conheço você. - fez uma pausa onde fiquei olhando e pensando de onde poderia conhecer aquela pessoa - Você é aquela menininha que foi tirada dos pais quando era pequena e está presa até hoje por uma bruxa, e seu nome é Rapunzel, estou certo?
Lembrando do meu apelido de infancia comecei a brincar do mesmo joguinho que ele.
_Sim, só que fico presa aqui durante os feriados e fins de semana, em dias normais fico enjaulada num escritório.
_Então se você é a Rapunzel que conheço, por que não jogou suas tranças ao invés de um balde de água?
_Porque você não é meu príncipe.
Nisso ele fez um sinal de adeus e disse:
_Nossa... então, até mais Rapunzel! Não deixe que a bruxa te veja debruçada na janela e... Tome mais cuidado da proxima vez que estiver limpando o apartamento, não gosto de tomar banho de água suja logo de manhã. - e continuou seu caminho.
Voltei a meus afazeres e resolvi sair um pouco mais tarde. Fui á casa de uma colega de trabalho e tive uma grande surpresa. Chegando lá me deparei com aquele mesmo homem que dei um banho de manhã, mas nem eu e nem ele comentamos nada com ela. Minha amiga tinha o costume de rir e falar ao mesmo tempo mas naquele caso ela estava a ponto de ter um ataque:
_Ele estava vindo para cá, quando uma louca, com nome ou apelido, não sei, de "Rapunzel", deu um banho de água suja nele.
Olhando para ele, respondi:
_Devia ser uma louca mesmo, mas por quê Rapunzel?
Ele voltou a falar comigo:
_Ela tinha uns cabelos enormes como os de uma princesa cheguei a imaginar que ela fosse Rapunzel, mas depois vi que ela já tinha um príncipe e ele poderia ficar com ciúme de mais um tentando subir por suas tranças.
Minha amiga foi até a cozinha, ficamos só nós dois na sala conversando.
_Mas será que ela realmente tem um príncipe?
_Provavelmente sim.
_E se ela não tivesse?
Ele pensou um pouco, e sorriu.
_Eu tentaria ser esse príncipe.
_E como faria isso?
_Ah... desculpe mas não posso revelar, temo que alguem fale para a bruxa que a mantem presa lá, e queira cortar suas tranças, aí seria impossível alcança-la.
_Tudo bem, boa sorte. Espero que consiga.
_Vou conseguir.
*****
No sábado minha vontade era de acordar bem mais tarde, mas fui acordada por um barulho de pedrinhas na janela do meu quarto. Ao abrir a janela, vi que era o "Príncipe" que me procurava.
_Rapunzel, jogue suas tranças...
_O que você está pensando? É sábado, são 8 da manhã, e você vem com esse papinho de jogue suas tranças?
_Ta, tudo bem... me desculpe volto outra hora pode ser?
_Não! pode subir "Príncipe".
_Pode jogar suas tranças então?
_Hoje em dia existe elevador, por que não tenta usá-lo?
Esqueci que tinha acabado de acordar e estava de pijama, pantufas e descabelada. Enquanto ele subia, corri o máximo que pude para tentar melhorar aquele visual matinal. Ele chegou, abri a porta e falei para que entrasse.
_É bem mais prático do que as tranças, não é?
_É mais confortável.
Tomamos café juntos e depois ficamos conversando. Saímos naquele mesmo dia, e no mesmo dia descobri que ele era o meu príncipe, sem cavalo branco e sem um reino, mas com um coração que se encaixava perfeitamente no meu. Estamos juntos até hoje!
****
Ninguem ficou cego e eu não tive gemeos - e espero continuar assim - , meus cabelos continuam enormes! Mas para que eles adiantam agora? Somente boas lembranças. Atualmente só usamos o elevador do edifício ou as escadas, e tenho certeza que esse príncipe não vai embora nunca mais. *"


Mui fofa a história né? AMEI! Querem ler + histórias? Visitem o Blog da vivi
Tchauzinho e beijonas pra vcs! ♥ 

2 comentários: